Quarta-feira, 8 de Março de 2006

A Fotografia.

Viva! Estou de volta com mais um artiguito. Está-me a apetecer falar de banalidades e como não tinha mais nada à mão vou escalpelizar a importância das fotografias no local de trabalho.

Volta não volta, quando surge um evento extraordinário na empresa, lá vêm as fotos da praxe. Contrata-se um fotógrafo, que nos põe em poses estupidificantes para o “passarinho”, ou aparece logo um cromo da prata da casa, que delira com estas coisas mas de uma performance completamente amadora, e …zás! Lá vai fotos a torto e a direito, a tudo e a todos.

O pessoal lá anda…”Agora uma foto em grupo…”, “Ó chiquinha! chega aqui para ficares na fotografia com o Sr. Dr….”, “Agora uma foto do “jaquinzinho” com o “telas”…”, etc…

Passados uns dias, é a excitação total. Chegaram as fotos!

Põe-se no PC (sim, que hoje em dia é tudo digital) e juntam-se os aglomerados em torno da máquina, tudo a esticar o pescocito para ver como ficou a respectiva figura. É lindo!

Tudo pára. O chefe sai do telefone para ver as fotos. Vê-se de tudo. E tudo muito alegre. As barrigas salientes, os sorrisos de circunstância e as bochechas coradas. As minhas preferidas são as fotos tiradas à mesa. Espectáculo! As bocas abertas para deglutirem o principesco repasto, até se vêem os estômagos.

É engraçado, mas as fotos, de repente, passam a ser o objectivo “core” da organização. Nada é despachado, imprimido, publicado no site, distribuído por mail ou cds com tanta rapidez e eficiência como as fotos de eventos. Aliás nada é tão importante como a partilha das fotos, tudo o resto passa para segundo plano.

É aqui que se vê o verdadeiro espírito de cultura empresarial. Todos falam com todos, são ultrapassadas barreiras hierárquicas, tudo fluí abençoadamente e sem restrições. A partilha é total.

Já me esquecia, aí de alguém que não apareça na foto! Fica logo marcado, é como se nunca tivesse estado na empresa.

Melhor mesmo, é se o evento extravasar o contexto da organização englobando outras entidades, o sucesso então atinge proporções bíblicas. Mas, o mais interessante disto tudo tem a ver com a reacção das chefias. Aqui sim, a diversão começa. A fogueira das vaidades atinge o seu ponto mais alto.

Enviam-se cartas, fazem-se telefonemas, estreitam-se relações, é um mundo de oportunidades. Por detrás de uma foto (ou de um cd de fotos) renovam-se lobbies, criam-se verdadeiras amizades, trocam-se influências e fortalecem-se laços (não me estou a referir aos da gravata).

Posso dizer que nestas ocasiões a Produtividade atinge o seu ponto mais alto, nada melhor que uma foto para trazer ao de cima o melhor de nós. Talvez o segredo do sucesso esteja num simples retrato.

O que é que isto tem de mal? Nada.

RdS
publicado por GERAL às 14:55
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds