Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2006

A saga Belmiro continua

Ora aqui está mais um contrbuto de CMS. É, no fundo, uma continuação sobre a saga do Belmiro e restantes compinchas.

QUOTE
O "Empresário" Azevedo

O Eng. Belmiro, desde os tempos da natação do Fê Cê Pê, tornou-se amigo do "empresário" Azevedo de Marco de Canavezes aquando da construção dumas piscinas que não foram construídas apesar da vasta literatura sobre o assunto que estava guardada em determinada prateleira nas instalações da instituição acima mencionada. Sei desta preciosa informação através da leitura dum escrito assinado por um jornalista de "referência" cujo nome omito. E só omito, porque o seu nome inspira reflexões sobre a domesticação dos vertebrados.

Dizia esse personagem, no referido escrito, que os livros que ensinavam a construir piscinas estavam escritos em inglês. Claro está que deviam pertencer ao «ingineiro» Belmiro, pois está claro, também, que o "empresário" Azevedo não precisa de escritos - sejam em que língua fôr - para construir piscinas e/ou quaisquer estruturas sejam elas de betão, plástico, etc (este etc inclui também a merda).Mais, dizia o referido jornalista, que o homem, o «ingineiro», partiu um braço e, imediatamente, se dedicou à leitura da ciência médica (penso que em língua estrangeira, pois claro) e pareceu-me... pareceu-me que, a parte que ensina a concertar ossos, o habilitou para (também me parece que, ou foi na mesa das operações, ou foi à entrada da sala) discutir com um emérito galeno as vantagens - não sei bem se também as desvantagens - das técnicas usadas na União Soviética sobre a redução de fracturas.

Se quem me ler não ficar com um complexo de inferioridade é porque não merece o IB/EA. Calma, eu traduzo:
«INGINEIRO» BELMIRO / "EMPRESARIO" AZEVEDO.

Vamos agora às coisas sérias!

O texto do jornalista que, atrás, refiro é mais uma das sabujices que, desde há uma semana, tenho vindo a ler sobre o Eng. Belmiro de Azevedo. Desde o muito obrigado por ter feito esta jogada, à admiração pela "coragem" revelada (não percebi esta mas, juro, que estou empenhado em corrigir-me desta preguiça intelectual) que a PT está prejudicar Portugal, que os gestores portugueses são de equipas secundárias (penso que devem estar a jogar nas Distritais) e que -isto é muito importante - agora é que os consumidores portugueses vão saber como foram enganados pela PT.

Sendo certo que este tipo de comportamento, num País que integra a União Europeia, é comprometedor para a verticalidade dos emitentes de tais opiniões, é, também, um motivo de descrédito no relacionamento social e gerador da tal falta de auto-estima dos portugueses.

Obriga, também, a pensar!

É triste, muito triste mesmo, para um cidadão de meia idade, minimamente instruído (não digo culto porque é pedir demais) minimamente conhecedor das regras sociais básicas, minimamente a par das mais elementares disciplinas de gestão, minimamente viajado, verificar que não valeu a pena o mais pequeno sacrifício que fez pelo seu País; é triste, muito triste mesmo, para esse cidadão deste País não ter possibilidade de fechar os olhos perante a nudez infame e desavergonhada destes Belmiros, destes Sócrates, destes Vieiras da Silva, destes Costas (já agora, porque será que eles se chamam Costa),destes Constâncios e sobretudo deste Sampaio cuja perversão aponta para um exame sério às suas faculdades mentais (este tipo, talvez porque não tenha mulher capaz, resolveu fecundar a honra do povo português, primeiro, não acatando a vontade expressa por esse povo para, depois, retirar a todos os elementos desse povo a possibilidade de serem reconhecidos por actos nobres e elevados, porque depois desse execrável Sampaio qualquer português com uma Medalha Portuguesa ao peito é motivo para a chacota regional, nacional e internacional).

E o que é que se pensa quando jornais que deviam serem sérios dão à estampa, pela pena dum sub-director, artigos de opinião em que dá como já garantido que "foi dado o primeiro passo para que a PT deixe de ser o abono de família nacional" e termina com "ainda bem. É um óptimo sinal" (Diário Económico" nº3820 de 13 de Fevereiro de 2006). O atrasado mental chama-se André M...!

Não é preciso ser JEEP para perceber que o sr M... é uma besta! Mas é uma besta que ganha bem e não paga comunicações. Se o jornal lhe debitasse as chamadas telefónicas que faz para a manjedoura e para o veterenário, para a femêa e para o tratador talvez começasse a pensar.... Não! Uma besta não pensa! O melhor é pô-lo mesmo a pagar as práticas pessoais que não sejam estritamente do âmbito da sua função profissional!

E já agora colaborar no esforço nacional que o Belmiro está empenhado, isto é redução do salário para o máximo que irá ser permitido quando o Belmiro lançar uma OPA sobre o governo esquerdista do Sócrates (5 salários mínimos mas indexados ao que se pratica no Bangladesh) acompanhado pelas medidas já em vigor nas empresas que tão bons resultados têm dado (nada de Sindicatos, nada de Contratos e muito menos Colectivos, nada de perdas de tempos com famílias, doenças e outras distracções do género)

Deste modo, a PT passa a ser o abono de família do Belmiro! Que venderá aos espanhóis depois de constatar que o André não é filho dele e, como tal, deve ser um filho da puta.

André M..., filho, vai-te foder!
UNQUOTE

Nomes protegidos (?) por protecção dos leitores. É que há palavras/nomes demasiado violentas(os) para olhos desprotegidos!!

MS
publicado por GERAL às 11:04
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De RdS a 15 de Fevereiro de 2006 às 12:11
É pena que os nossos sucessos e exemplos nacionais tenham sempre por base algo podre. Será que nunca conseguiremos sair da "lama" civilizacional e atingir o topo com justiça e admiração?

Estes 2 textos dão que pensar. Que raio de país é este que apenas legitimiza o "chico esperto", o burlão, etc.

RdS

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds