Terça-feira, 20 de Março de 2007

Anúncios e Publicidade

Caríssimos leitores,
 
Muito boa tarde/dia/noite a todos.
 
Olá a todos. Hoje não vou falar de coisas triviais como a crise, os combustíveis ou ainda acerca de coisas insignificantes como os impostos ou, sequer, ninharias como por exemplo o desemprego ou o aumento do miserabilismo... não senhor! Estou aqui para falar de coisas sérias para um consumidor. A aula de hoje é sobre a publicidade e os anúncios.
 
Todos sabemos que não basta ter um produto para ganhar dinheiro. É necessário comercializá-lo e anunciá-lo. Sem estasduas coisas nada feito! Voltamos ao lodo primevo de trabalhadores por conta de outrém.
 
Quem olha de relance para uma televisão vê anúncios e publicidade por todo o lado e acerca de tudo. Ele é preservativos, pensos higiénicos para cueca tanga, produtos de limpeza para tudo e com todos os cheiros possíveis, produtos financeiros, etc. Até temos um do Governo a agradecer a quem pede facturas... mas já lá vamos.
 
Na rádio é a mesma coisa. Queremos ouvir musica e lá vem a cerveja fresca, mudamos para as notícias e lá vem o creme para os pintelhos... é um nunca mais acabar de publicidade!
 
Mas eu, como consumidor e como vítima da publicidade, tenho uma reclamação e um indignação a apresentar. É que os anúncios são uma verdadeira merda!
 
O que a malta quer é GAJAS! Com enormes prateleiras e peidas ao léu. Coisas naturais e não as pseudo-moralidades a que estamos habituados. No intervalo de um filme (ou de um jogo de futebol para os apreciadores) não há nada melhor que sentir os neurónios a morrerem e definharem quando vemos os anúncios, mas cheios de gajas boazonas. A sensação de vazio cerebral – que sempre acompanha um bom anúncio – seria facilmente ultrapassada por um bom par de tetas a anúnciar uma esfregona. Vamos ver alguns exemplos:
 
Anúncio a um óleo alimentar. Um óleo normal, igual aos outros, que nem funciona nada de especial e que é na maioria dos casos totalmente artificial e bom para o motor de um carro com 100.000 kms.
- cenário: uma cozinha normalíssima com chão de linóleo aos quadrados brancos.
- personagens: uma garrafa de óleo e uma gaja.
A gaja começa a falar que óleo frita uns rissóis e chamuças mas está em troco nu, tem umas mamas soberbas e começa a esfregar o óleo nas tetas e termina com a frase “Óleo alimentar XXX. Você pode fritar mas escorrega mesmo bem na sodomização!”
 
Haveriam de ver tudo quanto era macho a comprar paletes de óleo para levar para casa e olhar sub-repticiamente para as trancas descomunais das mulheres... com um leve sorriso malicioso nos lábios.
 
Outro anúncio:
Produto de limpeza de sanitas, numa casa de banho uma gaja podre de boa, toda nua explica como funciona e para que serve. Baixa-se de cu virado para a camara e muda o dispositivo de limpeza, vira-se para trás e diz em voz rouca: “se me quiseres limpar, compra dez litros do produto XXX e poderás ganhar umanoite... a dois... comigo!”.
Mais uma vez garanto-vos que em menos de 24 horas o produto esgotava e haveria lutas renhidas pelos últimos frascos... e cada um deles tem apenas 30 ml de produto... estão a ver não é? Até perfazer 10 litros têm muito que andar.
 
Ainda outro anúncio:
O das facturas, do ministério. Se em vez de ter um tipo com ar farrusco a andar na rua e uma cambada de velhinhos e criancinhas a dizer obrigado tivesse umas gajas todas descascadas, tetas de fora a badalar a malta até pensaria que aquilo funcionava. Que pedir factura dava direito a que o Estado contratasse funcionárias públicas que estão nos quadros de mobilidade para andarem na rua com o mamal de fora a agradecer quem pede factura.
 
Servem estes exemplos para quê?
 
Para re-afirmar que eu, como consumidor, quero ver gajas nuas a falar de produtos finaceiros; mamas de fora para explicar óleos alimentares; fulanas descascadas com a pachacha rapada a falar de pensos higiénicos... isso sim era publicidade e não a merdunfa que nos atiram todos os dias pela TV e rádio.
 
Conhecem o anúncio da Bosch em que o paizinho pergunta ao filho se gosta de dele até à lua e o ranhoso responde que gosta até à BOSCH? Passa na rádio e é das coisas mais absurdas que já ouvi, ainda para maisquando o nome da marca em si dá azo a erradas interpretações... vejamos: é que se alguém perceber que o puto gosta do pai até à BrOSCH o caso pode ficar mal parado... é pedofília!! Acho eu. É que afinal do caso Casa Pia os únicos culpados até agora são os putos... esses sim, levaram na peida e têm as hemorróidas como recordação e prova!
 
Um abraço
 
MS
publicado por GERAL às 15:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Março de 2007

Contadores... o inefável mistério

Caríssimos leitores,
 
Muito boa tarde/dia/noite a todos.
 
Como estão todos? Benzinho? A família também? E o desemprego? vai bom? Já foram visitar o Engenheiro José (não o do benfica, o do País mesmo!)?
 
Embora já há uns dias que não coloque nenhuma “diatribe” ofensiva neste blog tenho seguido o Estado da Nação e tenho discutido com algumas pessoas o estado da dita... que eu caracterizaria como comatoso, vegetativo.
 
Verifico, com a mesma satisfação de sempre, que enquanto existir futebol esta Terra Estranha segue em frente, calma e serenamente e que não interessa o que se passa mas apenas a Super Bock e os tremoços enquanto chamamos filho da puta ao árbitro e desejamos ver pernas partidas e traumatismos cranianos nos jogadores da equipa adversária.
 
Nos últimos dois dias dei umas boas gargalhadas com o nosso Governo. Parece que os homens resolveram imitar o resto da Europa e vão decretar – em nome do consumidor – que não há direito a pagamentos de aluguer de contadores de electricidade, gáz e luz (telefones logo se vê até porque a PT escapou à justa de uma OPA lançada por um gajo que nem tinha dinheiro para a comprar mas isso é outra história) e imediatamente começaram as empresas a “ganir” que são umas desgraçadinhas, acompanhadas à guitarra e à viola pelas autarquias.
 
Ora bem! Aqui na Terra Estranha, para além das campas compradas a 99 anos, os terrenos que passam de pais para filhos, temos também um bem eterno (se calhar semelhante ao diamante) que é o CONTADOR.
 
É verdade sim senhor! Esse equipamento caro, de última tecnologia, que exige custos terríveis de manutenção é pago todos os meses durante toda a sua vida. Vamos fazer umas continhas rápidas? Vamos?
 
Então é assim:
O Tó casou com a Felisberta quando tinha 20 anos e, com a ajuda dos pais, do subsídio de desemprego, dos avós e de empregos na Câmara Municipal como jardineiros e administrativos compraram uma casa quando tinham 21 anos. Vamos considerar que os dois sobrevivem às agruras da vida e têm uma esperança de vida de 85 anos (curiosamente, têm a mesma idade, celebram o aniversário no mesmo dia e têm o mesmo quoficiente de inteligência... é para simplificar a análise macro-económica. É assim que os economistas fazem por isso as contas funcionam sempre). Os dois tugas vão, portanto, habitar a sua casa, o seu ninho reprodutor de dois rapagões ligados ao tunning, durante 64 anos, tratando a sua residência com carinho e comprando móveis no IKEA e chão de linóleo, tudo doseado com o tradicional gosto em quadros e pequenas esculturas de cerâmica (ele é quadros de paisagens mortas tipo fruteiras a abarrotar com peras e maçãs e mais umas uvas e um linda colecção de bibelots das Caldas, não esquecendo a bandeira do clube desportivo e o calendário do Talho do Francisco que tem umas salsichas frescas que são um mimo).
 
Quando foram morar para a sua nova casa – carinhosamente alcunhada de residência do amor – trataram das ligações de água, luz e gáz e no primeiro dia que para lá foram esses bens começaram a ser usados. Então vejamos:
 
- Tempo de habitação: 64 anos = 768 meses
- Custo do contador de água = 50 euros (valor é suposto. Poderá, pois, sofrer alterações)
- Custo do contador de gáz = 75 euros (valor é suposto. Poderá, pois, sofrer alterações)
- Custo do contador de luz = 100 euros (valor é suposto. Poderá, pois, sofrer alterações)
- Aluguer do contador de água = 12 euros a cada factura de 2 meses (valor retirado da minha factura de água)
- Aluguer do contador de gáz = 6 euros a cada factura de 2 meses (ibidem)
- Aluguer do contador de luz = 15 euros a cada factura de 2 meses (ibidem)
- IVA à taxa legal de 5%
 
Resultados:
768 meses a dividir por 2 = 384 facturas a pagar
● Água = 384 x €12 = 4.608 euros + 230,40 euros de IVA = total de 4.838,40 euros de contador de água.
● Gáz = 384 x €6 = 2.304 euros + 115,20 euros de IVA = total de 2.419,20 euros de contador de gáz.
● Luz = 384 x €15 = 5.760 euros + 288,00 euros de IVA = total de 6.048,00 euros de contador de luz.
Total de contadores: 13.305,60 euros
Nota: neste cálculo não estão considerados aumentos anuais eajustes financeiros nem novas taxas a serem implementas
 
Se considerar-mos que estas despesas serão imputadas a 5.000.000 de consumidores (são mais mas vamos simplificar ok?) o resultado final é de 66.528.000.000,00 euros.O que dá qualquer coisa como 24.192.000.000,00 euros em contadores de água, 12.096.000.000,00 euros em contadores de gáz e 30.240.000.000,00 euros em contadores de luz.
 
FODA-SE!!!!
 
Desculpem lá o vernáculo mas agora percebo porque é que os tipos não querem deixar a coisa! Espertos hein?!
 
Mas voltando ao Tó e à Felisberta, pode-se bem dizer que estão lixados. Ou seja, por um equipamento que tem o seu custo, é certo, mas nada de especial pagam-no um “montão” de vezes. Digamos que os contadores são os mercedes do equipamento de casa...
 
Mas mais grave ainda é que os “meninos” das empresas já grunhem que se acabarem com os contadores vão ter de aumentar a água, gáz e luz! Posso saber a razão, cambada de FILHOS DA PUTA? Quero saber quem foi a besta do economista que se lembrou desta! Mas que MERDA é esta? Acabam com algo que é ilegal, justamente porque é ilegal e depois “espetam” com a ilegalidade pela peida do consumidor acima de outra forma? E ninguém faz nada?????
 
Ou seja, com a conivência do Estado continua a perpetuação da roubalheira e ninguém tem os tomates no sítio para dizer aos Senhores Administradores uma coisa simples: “Seus caralhos! Nós vamos acabar com a taxa dos contadores mas o primeiro animal que falar em aumentos é capado!”
 
Enfim! VIVA a Terra Estranha onde roubar é uma arte e ainda por cima protegida por Deus e pelo Estado.
 
Antes de terminar, e falando de novo acerca de um velho tema, têm reparado nos preços dos combustíveis? É que continuam a aumentar! Qual é a desculpa desta vez? A mim só me ocorre a questão do lucro fácil... mas isso sou eu e vocês já sabem como sou, um má-lingua perigoso e sanguinolento.
 
Um abraço
 
MS
publicado por GERAL às 13:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Março de 2007

Museu…que nojo….Salazar???????

Saudações a todos!
 
Fiquei estupefacto ao ter conhecimento desta iniciativa. Um Museu sobre o Salazar! Sim senhor! A estupidez desta terra nunca cessa de me espantar.
 
Viva a Ditadura!
 
Será que os Portugueses já esqueceram o que é a Ditadura? Ou será que estão com problemas de erecção e pensam que numa “dita dura” ficam com o problema resolvido? Tomem Viagra! É menos maligno e também resolve alguns problemas.
 
Com que então entramos oficialmente na época do saudosismo, “antigamente é que era bom”…. Tão bom, tão bom que um ajuntamento de 3 pessoas era considerado manifestação e …tudo para a choldra! Isso é que eram bons tempos.
 
Mas é bem feito, somos um povo sem raça, carneirada! Andamos sempre à procura de um líder, de alguém mande, alguém que nos diga o que fazer, que pense por nós e que cuide de nós.
 
Não há Pachorra!
 
Que o Salazar tenha sido um personagem histórico com algum relevo (e muita tacanhez) e que marcou fortemente o século XX Português, não deixa de ser um facto e merece ser alvo de muita análise e muito estudo (nem que seja para não repetirmos erros absurdos e falta de Visão Estratégica), mas daí a ser criado um Museu…. É um pouco demais!
 
Só falta ser eleito como a personagem histórica mais importante da nação (para ser totalmente aberrante seria ficar em primeiro lugar em igualdade pontual com o Cunhal) naquele programa da RTP.
 
Já agora, fazia-se uma homenagem póstuma, com o Presidente da República a medalhar a sua campa com pompa e circunstância. E o povo em romaria, com “aleluias” histéricos, a ovaciona-lo.
 
Era Lindo….
 
Ficava provado, de vez, que somos, realmente, um povo de mentecaptos, que não sabemos dar valor à Democracia nem à Liberdade que fomos, se calhar imerecidamente, ganhando ao longo dos tempos.
 
Será que já se passaram tantos anos e que as pessoas esqueceram o que é o Fascismo?
 
Isto não é memória curta, é não ter memória sequer. Façam um favor, esqueçam que o homem existiu e concentrem-se em melhorar o que temos actualmente.
 
RdS
publicado por GERAL às 15:18
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

O Lixo! Esse …. Imposto!

Cumprimentos!
 
Mais uma vez temos o nosso Estado, essa digna instituição de justiça social, com uma nova tentativa de Chular…Ops… quer dizer, Roubar… Bolas! Lá estou eu a fugir com a boca para a verdade… de justificar umas “massitas” extra aos cidadãos (vulgo contribuintes, ou melhor: Otários) para equilibrar os custos vigentes da recolha de “Lixo”.
 
Pois é, meus amigos! Recolher o lixo sai MUITO CARO! O Estado não pode comportar tanta despesa! Por isso, toca a analisar formas de balancear esta situação favoravelmente, ao Estado, claro.
 
Nós, reles bestas de desperdício, temos de ser novamente penalizados e re-pagar o que já pagamos. Isto soa-me a familiar, tem analogia com o caso do “aumento da electricidade”. Também aí, nós, monstros consumidores, estávamos a ser beneficiados, ou antes – subsidiados - no preço da electricidade.
 
Por isso, toca a pagar o que é justo!
 
Já fazemos a triagem e selecção do lixo em casa, sem qualquer contrapartida, como é óbvio, mas ainda não chega! Há que ir, ainda, mais longe. Toca a pagar o Lixo que produzimos ao Quilo!
 
Exacto! Questões ambientais, dizem! Temos que pagar por elas….
 
Tudo bem! Cá estaremos para pagar tudo, como de costume.
 
Mas, deixem-me só colocar algumas questões:
 
1)      Não pagamos já impostos?
2)      Se pagarmos estas novas taxas, os nossos impostos vão ser reduzidos? (Como compensação).
3)      Para que servem os impostos que pagamos actualmente? Espero que não seja só para pagar os ministros e seus infindáveis staff’s (Assessores, mordomias, etc)?
4)      Vamos ter descontos por fazermos o trabalho de triagem e selecção do Lixo em casa?
5)      Vamos ter cartões de identificação para o lixo? (ou vamos andar a pagar o Lixo de terceiros? Sim, porque o Tuga é perito e aliviar-se sobre terceiros)
6)      As embalagens e demais invólucros vão mudar? (Mais leves, mais amigas do ambiente, etc)
7)      Vamos ter mais Reciclagem e mais Tratamento de resíduos?
8)      Vamos poder descontar estas despesas no IRS?
9)      Vamos ter melhores contentores de desperdícios, mais limpos e amigos do ambiente?
 
Não sei porquê, mas tenho a sensação que toda esta história só vai servir para justificar novas Taxas e/ou novos Impostos. Na prática, querem continuar, subtilmente, a ir ainda mais fundo no “bolso” dos cidadãos.
 
Olhem que o “bolso” tem fundo!
 
É como a electricidade, os combustíveis, as estradas, as comunicações, etc. Pagamos sempre tudo a triplicar, voltamos a pagar para usar e ainda acham pouco. Por exemplo: Nas comunicações, andamos anos a fio a pagar tudo e mais alguma coisa, infra-estruturas, utilização, etc.
 
Depois, privatizaram! O Estado recebeu o dinheiro, livrou-se de uns custos… mas quem pagou tudo (nós as alimárias do costume) ficou a ver navios. Continuamos alegremente a pagar.
 
Na electricidade, idem aspas aspas. Com uma inovação, foi um favor termos vindo a usufruir (e pagar, claro está) do que tem sido feito. Não merecíamos, mas como é tudo boa gente, vá! Tomem lá! E paguem!
 
Sobre as estradas e os combustíveis, nem sei o que dizer. A roubalheira grassa os limites do absurdo, pagamos para construírem, pagamos para comercializarem as vias, pagamos para distribuírem combustível, pagamos por pagar, pagamos para tudo e para todos. E o que vemos? Continuamos a pagar, pagar e pagar.
 
Será que isto não tem fim?
 
Esperem que ainda vão vir mais inovações - para pagarmos!
 
A próxima vai ser a do WC. Já pagamos o imposto sobre o esgoto, eu sei. Mas pensam que isto vai ficar por aqui? Nem sonhem! Vamos também começar a pagar por quilo, litro, ou qualquer outra medida. Vale uma mina!
 
Já estou a a ver um novo aparelho instalado nas sanitas – o “Evacuómetro / mictómetro”. Além disso, a obsidade vai passar a ser um desígnio nacional, quanto mais gordinhos, mais ….. A designação de “dinheiro sujo” ganha novos contornos.
 
E medidas que realmente tragam algo positivo, útil, que permitam um melhor aproveitamento dos resíduos e dos recursos?
 
Sei lá! Coisas do género:
 
1)      Incentivar / exigir circulação de veículos híbridos;
2)      Incentivar / implementar painéis solares nos prédios de modo a diminuir o consumo clássico de energia;
3)      Investimento em fontes de energia alternativa;
4)      Incentivos na criação de embalagens menos agressivas do ambiente;
5)      Diminuição de impostos;
6)      Diminuição de Assessores e demais parasitas da despesa pública;
7)      Melhor aproveitamento de recursos existentes e menos onerosos, como o Sol, o vento, gás orgânico, energia das ondas, das marés, barragens, etc;
8)      Campanhas de uso de papel, vidro, etc, reciclado;
9)      Combate à burocracia;
10) Campanhas para a diminuição de desperdícios;
11) Legislação que incentive o uso de produtos reciclados em detrimento dos produtos usuais;
12) Implementação de medidas na construção civil (habitações, escritórios, etc) que potenciem a diminuição do consumo de energia e que sejam mais “inteligentes” com a “climatização” interior;
13) Investimento na inovação e desenvolvimento de soluções de eliminação, diminuição, recuperação de resíduos, desperdícios, energia, etc;
14) Combate à corrupção e fraude;
 
Ena, tanta coisa e tanto trabalho! Que horror! O melhor, mesmo, é arranjar novas taxas e novos impostos. É mais fácil, mais barato e dá milhões. Não se resolve nada, o desperdício e a poluição continuam mas, acima de tudo: ganha-se muito mais!
 
E nós? Reles habitantes desta “Etar efervescente de ideias iluminadas”, vamos continuar calmamente a….PAGAR!
 
RdS
publicado por GERAL às 10:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds