Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Que a chuva traga, Alívio Imediato...

Realmente Maio é um mês que deixa poucas saudades, já não bastava a conjuntura económica e social que se instalou em regime “duracel”, defrontamo-nos, ainda, com alterações climáticas, aquelas que supostamente viriam daqui a uns anos... pois, já chegaram! O Inverno insiste em passar a Primavera connosco!

 
Se calhar até não é mau, como se costuma dizer, ao jeito muito português, “Deus escreve direito por linhas tortas”, ou em tom mais popular (não confundir com o PP) “Há males que vêm por bem”. Assim, não caímos na tentação de ir para a praia apanhar Sol, Sol esse que “não está para brincadeiras” (outra frase muito popular), deixam de existir as típicas filas intermináveis de automóveis, poupam-se litros de combustível, que já custa “os olhos da cara” (expressão interessante esta), evitamos as queimaduras solares e respectivos cancros de pele, etc, etc...
 
Tudo muito deprimente...
 
Como não podia deixar de ser, “um mal nunca vem só” (mais uma pérola mundana), começam agora a chegar os resultados, em relatórios da Comunidade Europeia, destes anos de governação Socratiana (não confundir com Socialismo). Aparentemente foi tudo mexido e remexido, estilo ovo mexido, tantas medidas drásticas, impopulares, rígidas, de aperto, de controlo extremo, de “sei lá mais o quê”, em nome do equilíbrio, da consolidação e do desenvolvimento sustentável, para quê?... enfim, conseguimos estar, ainda, PIOR!
 Pelos indicadores Europeus, aquela gente trabalha que se farta e observa tudo à lupa, conseguimos a proeza de: 
 
1)      Estar no tecto salarial dos que menos ganham na Europa – Não se iludam, o objectivo é competir com a China, o que quer dizer que ainda estamos muito acima do resultado final (é preciso, não, é urgente reduzir ainda mais os salários!);
2)      Termos o índice de produtos mais caros da Europa - esperavam o quê? Quando não se produz nada e só se aposta nos serviços, temos valor acrescentado, nos preços, claro;
3)      Quanto a combustíveis... Viva Espanha! (Há outros post’s neste blog mais interessantes sobre o assunto);
4)      Mas somos os que temos mais portagens na Europa por Km – como somos pobres temos de financiar as infra-estruturas e oferece-las aos privados para que sejam estes a explorá-las, ou será a explorar-nos?
5)      Temos a maior assimetria salarial da Europa, com o maior fosso económico entre ricos e pobres (quase se conseguiu acabar com a classe média – Vá lá, senhores governantes, é só mais um pouco! Continuem no bom caminho!);
6)      Desemprego oficial alto, não oficial (ou seja, aqueles que já não têm direito a subsídio e não fazem parte das estatísticas, que estão em “cursos de formação profissional financiada”, etc), absurdamente alto, muito provavelmente na ordem 15% - mas, Tttttccchhhiiiiuuuuu!!! Não é politicamente correcto falar nisso...
7)      Menor índice de crescimento do PIB, sinceramente, eu acho que já entramos em recessão, mas com o aumento sistemático dos preços dos combustíveis, das taxas, dos preços dos produtos, etc, fica tudo camuflado. Não falando na absurda taxa de inflação oficial, 3% - Onde? Só se for no preço dos políticos... O cabaz de produtos deve ser escolhido a “dedo”;
8)      Temos vindo a perder capacidade de atrair investimento estrangeiro (porque será? Cada vez estamos mais flexíveis laboralmente, ganhamos menos que os outros... é um mistério), o ano passado perdemos 50% do investimento face a 2006, que já tinha sido um ano mau. Mas afinal não era este um dos principais pressupostos deste governo? Íamos captar todo o investimento que existe por aí, era só anúncios de novos contratos, afinal...
9)      Em educação, aqui raia o limite do absurdo, com tanta, mas tanta (só me ocorre uma palavra) porcaria que já se fez... e continuamos na cauda da Europa. Brilhante!
10)   Segurança... bom, talvez o termo adequado seja insegurança. A criminalidade está a aumentar a passos largos, segue o exemplo de quem manda, mas neste patamar utiliza-se o termo corrupção, e o que é que fazemos?
11)   Em Saúde... Inacreditável! Perdi a vontade de continuar...
 
Em resumo, conseguimos sair da classificação de país em desenvolvimento e entrámos na gloriosa liga dos países subdesenvolvidos, é caso para dizer:
 
Muito Obrigado Sr. Primeiro-Ministro!
 
Inevitavelmente, esta conjuntura reflecte-se em tudo o resto, não só no que nos rodeia, como dentro de nós próprios. Claro que a violência, a intolerância e o isolacionismo disparam, mas aumenta também o “futilísmo”, a hipocrisia, o egoísmo e, o pior de tudo, entramos no reinado das “aparências”.
 
Acham mau? Pois, mas parece-me que isto não vai ficar assim. Estamos à beira de regressarmos aos tempos áureos das “convulsões sociais”: guilhotinadas, guerras civis, guerrilhas urbanas e afins. “Os bons velhos tempos”!
 
Já tinham saudades? Ah! Não se lembram desses tempos, mas se lerem um bocadinho de História (a sério, ler não dói e até pode fazer bem), vão ver que está lá muita coisa deste género, e algumas com menos de 100 anos.
 
É pena já não termos Bom Tempo, Sol, praia... Assim, ainda nos arriscamos a perder o comboio da convergência com os nossos primos do Brasil. Só a chuva estraga tão nobre propósito.
 
Bem, já que temos chuva... Olhem, Parafraseando um refrão dos Engenheiros do Hawaii,
 
 “Que a chuva caia como uma luva
Um dilúvio um delírio
Que a chuva traga – alivio imediato
Que a noite caia de repente caia
Tão demente quanto um raio
Que a noite traga – alivio imediato
 
Para quem não conhece, fica aqui o clip.
 
Rds
publicado por GERAL às 14:53
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De GERAL a 27 de Maio de 2008 às 16:08
Hummm... como comentar?
Vamos por partes:
1. O texto gostei, está incisivo e não disseste nenhuma mentira... aliás, até foste muito suave na forma como apresentaste a "bosta"... perdão... o País!

2. Quanto à música.... beemmmmmm.... pois.... hmmmm.... é assim, eu estou contra a merda do acordo ortográfico porque é uma exagerado namoro com o Brasileiro (mais conhecido por Português do Brasil)... mas porra! só falta o Quim Barreiros a cantar em brasileiro pá! em vez de "Mariazinha deixa-me ir à cozinha" passamos a ter "Neidizinha, você mi deixa ir no banheiro"...

Há limites para tudo e na minha perspectiva, música brasileira tem um limite muuuuuiiiiitttoooo curto. Mas uma coisa te digo, há gostos para tudo! até para votar no Sócrates

MS

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds