Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

Resposta à Crise

 

Olá potenciais banqueiros…
 
Parece que hoje em dia, os defensores do neoliberalismo andam caladitos e procuram passar despercebidos. É normal e até lhes perdoo esse mutismo capilar. Eu também teria uma certa “vergonha” se tivesse dito que caldo verde era bom para a regulação intestinal e o resultado final fosse uma caganeira de proporções bíblicas, mas isso sou eu que não ando a comer Kellogs K como se fosse palha, à espera de ficar com uma “barriguinha” bonita para a praia!
 
O que não acho lá muito normal é que os mesmos verborreicos que defenderam o neoliberalismo venham agora dar umas “dicas” acerca de poupança, como se o tuga não estivesse já habituado a viver na poupança. Isso não é lá muito normal até porque tais distintos senhores ganharam resmas de dinheiro na defesa das “tradições” chulistas bancárias e agora querem ganhar paletes de dinheiro com supostas tradições e métodos de sobrevivência para idiota ler.
 
Palpites sobre poupança, para o habitante da terra estranha, é como tentar ensinar o Pai-nosso ao Vigário. Aliás, o que andam a fazer parece mais o Vigarista ao ataque do que outra coisa qualquer.
 
Como tantas outras vezes foi referido, este blog não é apenas um local de má-língua… não senhor!... Também damos conselhos (ainda não damos Concelhos porque os Presidentes de Câmara ainda não roubaram tudo o que podiam) e sugestões para os incautos. Nesse sentido, eu que sou um invejoso nato – como todo o tuga bem-formado – também quero ser conhecido por aconselhar alguns métodos de poupança para ajudar a “maltosa” a sair da crise. Por isso aqui vão algumas:
 
  1. Poupar na Televisão – sempre que estiver a dar o telejornal ou outro programa informativo com o mesmo calibre, desligue a TV. Tem uma dupla função, isto é, você não atura os comentaristas sábios e entra em pânico a pensar que é o fim do mundo e poupa na electricidade. Depois de cálculos aturados, com a ajuda de 3 Nobel da matemática e um taxista, cheguei à conclusão que o valor poupado na factura da EDP é de 0.005 cêntimos (de iene) uma vez que a EDP está a pau com estes energúmenos dos poupadinhos e assim elas (as facturas) são feitas por computador sempre com o mesmo valor por causa das coisas! 
  2. Poupar na comida – não coma! A ASAE tem tentado isso de todas as formas e tem falhado. A malta teima mesmo em chafurdar no prato de sopa! Que raio de vício que os portugueses têm… comer! Aliás, eu sou partidário de que o governo (letra pequena de propósito) deveria mandar pintar nas tigelas ditos como: “O governo adverte que o uso constante da sopa mata” ou “Comer sopa cria habituação” ou ainda “Uma tigela de sopa pode ser responsável por sobreviver mais 3 dias”.
  3. Poupar na roupa – não compre roupa. Vista-se com a roupa dos anos 70, que pertenciam aos seus pais ou avós. Mais uma vez existe uma dupla finalidade: a primeira, claro está, é que poupa dinheiro e a segunda é que ao andarmos vestidos com a nova moda de “Tirana” cada vez assumimos mais o nosso papel (não de homossexuais, viso já) de “O país que faz jus à Albânia do Ocidente”.
  4. Poupar na água – os hábitos de higiene TÊM de acabar. Isto de andar cheiroso para chegar à repartição pública e começar a trabalhar não pode continuar. Em primeiro lugar, o funcionário público não trabalha, por isso não sofre de problemas de sudação, logo não cheira mal; em segundo lugar protege o ambiente uma vez que consome menos desse precioso recurso, tão necessário nas barragens portuguesas e seus respectivos empreendimentos turísticos, fonte de riqueza da nossa terra estranha; em terceiro lugar diminui o índice de poluição porque já não tem de comprar o champô com óleos de tomate envolvidos em saliva de atum, que faz bem à camada cuticular do couro cabeludo e que a tornam mais jovem (como se fosse possível salvar o “destroço” de cara que já tem).
  5. Poupar no gás – Se você evitar comer, não precisa de cozinhar com tanta regularidade (excepto para grelhar aqueles sapatos de pele de marmota transmontana que comprou num es-pec-ta-cu-lar saldo por apenas 450 euros e um barril de petróleo). Além disso a sua casa – que terá, de certeza, acabamentos de luxo (pelo menos foi isso que a imobiliária disse e o banco cobra) com soalho em parquet flutuante. Como sabemos, o parquet é madeira por isso comece por fazer uma pequena fogueirinha no chão da sala. Pode grelhar os sapatos de pele de marmota transmontana, é mais aconchegante e aquece e dá a ilusão que está a passar um serão em família. Cuidado! Tenha sempre à mão a toalha de renda horrorosa que a sua sogra ofereceu para apagar qualquer foco de incêndio! Lembre-se: você está a poupar água e muito provavelmente os bombeiros também…
  6. Poupar na electricidade – APAGUE a luz! JÁ! Imediatamente! Não dê cúnfia à EDP. Decore onde tem os móveis para não marrar com eles, compre duas velas feitas com cera reciclada e reutilizáveis para ler o programa do PS para a próxima legislatura e para encontrar as meias furadas que tem na gaveta, feitas com laminado de lã – uma mistura feita na china, à base de lã (0,5%), polyester (4%), amianto (15%), casca de uva de região demarcada (0,5%) e leite em pó chinês (80%). Não se preocupe com doenças. Os relatos acerca de utilizadores a quem caíram os pés são uma falácia contra a globalização, não existem provas substanciais que liguem as duas coisas e além disso, se é funcionário público, não necessita de pés para se deslocar… afinal passa a vida sentado mesmo!
  7. Poupar no papel higiénico – aqui pode apresentar os melhores ganhos e proveitos. Compre um rolo de papel a cada dois meses (provavelmente é melhor de 3 em 3 meses para não ser um “mãos-largas”). Limpe-se primeiro a um lado, depois deixe secar e reutilize o outro lado do rolo. Não se deixe abalar se alguns perdigotos ficarem agarrados aos dedos. Vá à varanda e limpe-os nos lençóis do vizinho que estão a secar. Caso atravesse um momento de maior dificuldade – como por exemplo uma caganeira não orçamentada ou prevista – pode sempre recorrer ao programa do PS às próximas legislativas mas MUITO cuidado: certifique-se se o programa foi impresso com tinta aprovada pela CE para evitar apanhar um hemorroidal de bradar aos céus. Além disso não disso não faz mal se apenas tem o programa do PSD. O cu limpa-se bem com um ou com outro!
 
Depois destas singelas sugestões deste vosso expert comentarista (que é injustiçado pela RTP ao não me darem um programa de comentários de 4 horas) perguntar-me-ão o que fazer com o dinheiro das poupanças? Sim, porque vocês até pensam que podem poupar umas coisitas. Pois bem, dada a volatilidade dos mercados e aos produtos “tóxicos” (fazem tossir as carteiras) posso, também, adiantar que com as poupanças efectuadas poderá continuar a pagar a renda do seu apartamento T1 que foi comprado ao preço de um T128, numa zona chique sem estacionamento; podem continuar a ir jantar fora; poderão ainda pagar a mensalidade da escola de futebol (na esperança que o vosso filho seja o próximo Cristiano Ronaldo e assim viverem à conta do ordenado do filhote… seus “projectos” de proxenetas! Isso faz-se? Isso é trabalho infantil); podem pagar a mensalidade do colégio-bem de Almajunfa de Cima, ali para os lados de Coina, onde não ensinam nada e você tem de contratar um explicador para ensinar a tabuada; pode continuar ao futebol, aos concertos rock dos xutos, do vocalista dos xutos, do guitarrista dos xutos, do baterista dos xutos, do electricista dos xutos e da empresa de catering dos xutos; mas mais importante do que tudo, pode meter 3 litros de gasóleo na carrinha Mercedes (modelo “pato-bravo 2.2 TDI” que está a pagar em leasing a 45 anos e que já tem 896.318 km, devido às viagens ao Algarve, Espanha e Fátima, com a família vestida à moda da Albânia, sem pés, a cheirar a cavalo, com o cu mal limpo, a passar fome, com os olhos sensíveis à luz eléctrica e a debater os programas do PS e PSD para as próximas legislativas).
 
POUPEM meus filhos… no poupar é que está a possibilidade de abastecer a viatura
Salmo de Ferreira de Oliveira, Apocalipse 2, versículo 1 – Edições GALP
 
Um abraço
MS
 
 
Nota: Querem comprar a Islândia? Agora vende-se barato! Por 99,99 euros compre uma ilha com vistas para o mar, desportos de Inverno, solarenga, terras mexidas por terramoto (não precisa lavrar), aquecimento central por vulcão, arejada e com janelas. Caseiros islandeses incluídos. Contacte a REMAX pelos telefones habituais.
publicado por GERAL às 11:27
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De RdS a 9 de Outubro de 2008 às 12:16

FINALMENTE um momento sério neste espaço!
Sábios Conselhos!
No poupar é que está o ganho. Só falta uma revoluçãozita e voltamos aos bons velhos tempos em que ser “pobrezinho mas honestezinho” era o exponente máximo de qualquer cidadão da Terra Estranha.
Com poupança, a vida vai ter esperança!
Acrescento mais um pequeno aspecto que provavelmente te escapou (ou ficou deliberadamente para outra rubrica) – ECONOMIZAR!
E – Esbanjar nunca! Nada de gastar as parcas remunerações (também confundível com esmolas) com luxos ou bens supérfluos (comer, vestir, casa... mas que exagero, para quê tanta coisa?)
C – Combate total ao desperdício: Nada é essencial! Tudo é excessivo!
O – Ou economizas ou és preso! (Está na altura de se impor a verdadeira doutrina, nem que seja pela força)
N – Nem pensar em gastar um milésimo! (esta têm autoria nos extraordinários gurus da energia – verdadeira lápide financeira. Mais importante que o cêntimo, o milésimo é o supremo motor da poupança)
O – O sentido da vida reside: na Caderneta de Poupança!
M – Máximo empenho, mínima despesa!
A – A felicidade é de graça – sem gastar és feliz!
R – Resumindo – Poupar, Economizar e Amealhar – Nova filosofia de bem-estar e de qualidade de vida.
Foi um pequeno contributo para a tua magnífica doutrina.
Um abraço, pequeno, nada de esbanjamentos,
RdS

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds