Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007

Ambiente, Bali e Gemidos

Caríssimos leitores,
 
Muito boa tarde/dia/noite a todos.
 
Depois de uma longa ausência – foi a minha travessia do deserto que, de acordo com o Mário Lino, significa que passei entre o Montijo e Almada, seguindo pela ponte Salazar – resolvi voltar às lides da má-lingua.
 
Por falar em deserto, ali está um verdadeiro camelo, meio careca, com cara de neardental e ideias de pitecantropus!
 
Onde ía?! Já sei! Como dizia, resolvi voltar às lides linguísticas (com ou sem acordo ortográfico). E hoje, para variar, não vou falar sobre o preço do petróleo que, se bem se recordam, no início deste ano de 2007 falei que o preço chegaria aos Usd 100 por barril e como podem ver falhei por trocos; nem vou falar sobre os políticos portugueses; e muito menos vou falar acerca do Tratado da União, também conhecido por Tratado de Lisboa, também conhecido por Tratado-dos-Lixados-por-um-Bando-de-Bandidos-que-Supostamente-Prometeram-um-Referendo-mas-que-se-Estão-a-Cagar ou TLBBSPREC. Decidi que vou falar sobre um tema recorrente, importante, preocupante, deslumbrante e, essencialmente, mentiroso que é o Ambiente, Bali e o Aquecimento Global.
 
Eu não estou a insinuar que o problema do ambiente não é, de facto, preocupante nem estou a dizer que deveríamos cagar no assunto e seguir para bingo! Nada disso! É deveras preocupante uma vez que nos vamos lixar todos de um modo que eu chamaria bíblico. Mas o que gostaria de fazer convosco é apenas um pequeno exercício intelectual acerca da hipocrisia da coisa. Então vejamos:
 
- É inegável que o planeta está a rebentar pelas costuras. Os governos mundiais, em nome das Global Corporations, já não conseguem esconder essa realidade e, muito menos, os números arrepiantes da produção mundial de gases de efeito de estufa que são lançados para a atmosfera. Essa é a parte que eles já não conseguem esconder.
 
- Outra coisa que não conseguem esconder é que o volume de gases libertados de longe ultrapassa a capacidade natural de reciclagem, nomeadamente por intermédio da fotossíntese.
 
- Das duas realidades acima expostas depreende-se que o volume actualmente existente é claramente excessivo e que existe uma incapacidade natural de reciclagem.
 
- A resposta das autoridades tem sido a apresentação de projectos de medidas restritivas, apresentação de objectivos de redução, quotas de emissões entre outras coisas que, embora sejam medidas positivas não o nego, são claramente incapazes e ineficazes para reverter algo que está descontrolado.
 
- Mas então pergunto-me uma coisa: A capacidade de absorção/reciclagem foi ultrapassada, existe um claro excesso na atmosfera e eles querem reduzir as emissões na ordem dos 15% a 20% até 2020? Se assim é, então continuamos a ter um excesso de gases na atmosfera e o efeito de estufa continua a progredir ou não é??? A mim parece-me óbvio que sim mas provavelmente os génios da Quercus achem que não!
 
- Eu não estou a dizer que nada deveria ser feito perante um quadro tão negro. Pelo contrário! Eu digo que muito tem que ser feito mas o que pretendo é alertar para o facto que, se quisermos, de facto, reverter o efeito global então temos que “parar e fechar para obras” durante uns mesitos porque senão o que estamos a fazer é varrer o problema para debaixo do tapete e o último que feche a porta.
 
Pelo que digo também parece que não há benefíciospara ninguém mas mais uma vez enganam-se. Vejamos quem ganhou e quem perdeu com a questão do ambiente:
 
- As grandes empresas, MUITO preocupadas com o ambiente têm aumentado o valor dos seus produtos porque afinal “estão preocupadas com o ambiente e como temos que limpar o nosso lixo (eu até pensava que era obrigatório mas parece que não) vocês é que o pagam até porque na minha margem de lucro ninguém toca”. Ou seja, eles continuam a produzir a mesma coisa e do mesmo modo, limpam como antes o faziam e aplicam umas taxas e custos extra, tudo em nome do ambiente, e nós é que nos fodemos!
 
- Os governos, que andaram durante décadas a cagar legislação acerca deste problema mas nunca a aplicaram, enfiam-nos mais uns impostos pela goela abaixo e “cala-te porque é tudo em nome do planeta”. Mas eu pensava que a legislação que foi parida era para isso mesmo, para evitar problemas e degradação ambiental. E nem preciso ir muito longe para dar exemplos... basta ver a questão das descargas nos rios e ribeiros portugueses para ver quantos empresários foram presos. NEM UM!!!
 
- Compramos um carro e pagamos eco-taxa; metemos combustível e pagamos eco-taxa; vamos às compras e pagamos a eco-taxa do saco do lixo; mudamos os pneus do carro e mais uma eco-taxa; compramos um electrodoméstico e mais uma eco-taxa; mudamos o óleo do carro e a dita eco-taxa lá aparece; aumentam o preço da electricidade com base nas energias alternativas; viajamos e lá vai mais uma eco-taxa; pagamos a portagem e tunga, mais uma eco-taxa mas... e para que servem os impostos? E para que servem as margens de lucro das empresas? Não é para isso mesmo? Não, afinal parece que lucro é a cava sagrada, ninguém toca e impostos e para ver se estás mais calmo e não pensas porque se pensas podes ser um perigoso revolucionário.
 
Quando falo na hipocrisia do ambiente é justamente nisto! É que as empresas e os governos continuam a aumentar os proveitos sem dar nada em troca, muito menos ao ambiente. O negócio do século é o chamado negócio verde, isto é, em nome do “fica na mesma” ganha-se mais uns cobres e os palermas dos media vão atrás e comentam que é tudo em nome do ambiente. O que é facto é que é em nome do lucro. Quanto aos desgraçados dos Quercus... bem, há muitos anos que não se via um tal bando de aproveitadores, vaidosos e atrasados mentais tão juntinho e no mesmo local. Eles não querem falar de ambiente, querem apenas ter tempo de antena e de preferência não perturbar os poderes e lobbies instituídos, pois podem perder uns dinheiritos que recebem à laia de esmola. Curiosamente, esses anormais da quercus só se lembram do ambiente depois de terem a electricidade em casa, o carro, o frigorífico, a playstation, etc e quando constatam o quão miseráveis são intelectualmente resolvem fazer algo pela vida. Uns, os melhores, ainda arrajam umas gajas e dão umas pinadas e fica tudo bem, outros, os piores, aderem à Quercus na expectativa que uma das associadas – mais feia que uma bota da tropa siflítica – olhe para eles com um esgar de desejo, que mais se assemelha a uma hiena na época da reprodução.
 
Muito mais há para dizer sobre o ambiente, mas sinceramente... agora não me apetece. Acho que vou fumar um cigarro... enquanto o posso fazer, pois qualquer dia vão dizer que o meu cigarro é cauzador do buraco do ozono. Mas todos se esquecem que o metano proveniente dos peidos e arrotos das vacas é muito mais prejudicial que o meu cigarrito... enfim, é o ambiente. Abaixo o cigarro e acabem com as vacas – as de 4 patas pois as de 2 patas fazem falta!
 
Voltarei em breve, pois já vos privei da minha companhia por muito tempo.
 
Um abraço
 
MS
publicado por GERAL às 22:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Ambiente, Bali e Gemidos

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds