Terça-feira, 21 de Novembro de 2006

Economias / Produção sobreaquecida.

Saudações a todos os que se perdem na blogesfera e vêm aqui parar por engano, se for de propósito, bem-vindos à Terra Estranha.

 

Estamos em crise e em crise vamos continuar a estar. Porquê?

 

Hoje, vou apenas debruçar-me sobre um factor motivador dessa crise – O Excesso de Produção.

 

Esse é o grande risco que a economia não pode correr, sob pena de retornarmos aos difíceis anos de 1929/1930. Logo temos de controlar as tendências mega produtivas. Não podemos correr o risco de saturar mercados. Senão os preços baixam, as margens baixam, a concorrência aumenta, entram novos players no mercado, as pessoas deixam de comprar porque já compraram tudo o que queriam, os consumidores vêem o seu poder crescer e tomar proporções nunca vistas, etc.

 

Colapso! Isto não pode acontecer.

 

Como se previne isto tudo?

 

Com controlo do consumo, ou seja, não se pode deixar os consumidores comprarem o que querem. Eles têm de compreender que não podem ter tudo e, muito menos, algum tipo de poder. Isso não interessa.

 

Mas como se controla o consumo?

 

Para isso tem de se criar um ambiente de crise. Exacto! Em clima de crise vale tudo, podem-se tomar medidas extremas, reduzir drasticamente de forma benevolente e, assim, estão criadas as condições para controlar o consumo.

 

Não esquecer um aspecto de suma importância: o clima de insegurança e de medo. Este é fulcral, só assim se consegue por “rédeas curtas”.

 

Mas, cuidado, isto não pode ser a qualquer preço. Tem de ser eficientemente controlado, ou seja com conta peso e medida. Há que continuar a consumir, com moderação, para que continue a haver margens de lucro fantásticas e ganhos alucinantes que permitam manter o statos quo.

 

Portanto toca a criar instrumentos e modelos económicos que espelhem este objectivo. Comecemos pelos deficits das Administrações Públicas. Crie-se um modelo de convergência.

 

Não é preciso mais, todas as nações aderentes vão assumir esse importante desiderato. Está dado o mote.

 

Conhecem o “Filme”? A sério. Não admira.

 

A questão é, isto faz sentido?

 

Não percebo lá muito destas coisas, mas reparo que a produção continua a bom ritmo, o consumo vai-se fazendo, oscilante, mas lá continua, com grandes sacrifícios da população, mas isso é apenas um mero efeito colateral.

 

Os grandes lucros e as grandes margens estão garantidas, os custos de produção (leia-se mão-de-obra) cada vez são menores, pelos vistos com a pobreza também se ganha dinheiro.

 

Além disso, esta é a verdadeira pérola, a massa estúpida de consumidores tenta manter o seu nível de vida de qualquer maneira. A que custo? Quem lucra com este custo?

 

Mas será que esta fantochada é mesmo necessária?

 

Tudo em nome do controlo da produção, ou será que existe medo de concorrência a sério?

 

Será tudo uma questão de mercado e de impedimento de entrada de novos players?

 

Talvez o risco seja mesmo elevado, podia dar-se o caso, com a entrada de novos players não autorizados nem devidamente culturalizados, sim existe uma cultura organizacional nisto tudo, de mudar o Statos quo vigente.

 

Aí a coisa complicava-se, tinha de haver partilha de poder nos actuais líderes.

 

Com uma crise este risco é minimizado e mais controlado

 

RdS

publicado por GERAL às 11:57
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Economias / Produção sobr...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds