Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Viagem a Andorra - carta ao meu amigo José

Caro José,

Como sabes, tirei uma semana de férias para vir a Andorra e tentar a minha sorte na prática do ski. Em Portugal estou sempre limitado, uma vez que a nossa única pseudo-estância de ski - a Serra da Estrela - não teve neve este ano, e parece que os canhões de neve não funcionaram muito bem. Faz-me lembrar aquela canção dos "Salada de Frutas" dos meus já longínquos tempos de pré-adolescente que dizia "Se cá nevasse fazia-se cá ski". Mas adiante, resolvi escrever-te para te dar conta de coisas estranhas que se passaram nesta minha viagem, agora que acabei de chegar ao meu destino de férias.

A viagem correu bem. Foram 1250 kms sempre a esgalhar no meu carro comprado há uma semana (que é o mesmo que dizer que desde há uma semana que estou com a corda ao pescoço)

Saí de Lisboa cedo, de modo a rentabilizar o meu tempo. Auto-estrada por aí fora a caminho de Badajoz. Claro está que antes de entrar em Espanha tive que pagar a portagem - cerca de 14 Euros para fazer 180 kms. E antes mesmo de empreender a viagem, tive, claro está, que encher o depósito do meu carro de gasóleo, o que me ficou em cerca de 60 Euros.

Entrado em Espanha, começo a constatar coisas não muito normais...ando na auto-estrada há uns bons quilómetros e não vejo portagens. Estranho..Entrei na auto-estrada sem levantar nenhum ticket, já saí e re-entrei duas vezes e não encontrei nenhuma cabina onde tivesse que dispender uns euritos por estar a utilizar uma via em tudo parecida com aquela que utilizei ao fazer a travessia de Portugal...se calhar enganei-me nas saídas e nas entradas...

Saio uma terceira vez da auto-estrada para descansar mais um pouco e para comer qualquer coisa, que isto de fazer viagens longas necessita de um estomago reconfortado. Como tal, saio numa terreola chamada "Trujillo". Engraçada a terreola...Quase que não vem no mapa e está cheia de monumentos...e tem uma daquelas coisas designadas de "Parador" que é como quem diz uma espécie de Pousada lá do sítio. Em tom de curiosidade olho para os preços para uma eventual estada...ora bem Eur 115/noite para um quarto com cama de casal e cama suplementar para a minha filha de 5 anos...engraçado...quase que juro que o preço para passar uma noite numa pousada em Portugal é algo mais caro...para aí uns 150 euros...e que coisa mais estranha...o IVA é de 7% ??!?? Será por a qualidade do estabelecimento ser pior? À primeira vista não me parece...isto até fica num castelo medieval e tudo...

Trujillo fica algures na Extremadura espanhola, aparentemente a região mais pobre de Espanha...mas não consigo encontrar pobreza nesta terra. E, curioso, vejo montes de jovens espanhóis a deambularem pela rua, pelos cafés, pelos restaurantes...não devem saber o quanto é bom irem para as cidades do litoral como os nossos jovens portugueses fazem..sim, porque quando eu vou a uma aldeola no interior da tugolândia as pessoas mais jovens que vejo davam para ser meus tetravôs...

Bem...vamos comer para regressarmos à estrada, que se está a fazer tarde. Ora bem...restaurante simpático, deixa-me ver os preços...média de eur 12/refeição..bah...não me parece demasiadamente caro...mais ou menos o que pagaria em Portugal ...e não se pode dizer que este restaurante seja uma espelunca. Comeu-se de facto bem, e ala que há que voltar à estrada. Bem...assim como me abasteci, tenho que abastecer o meu carro também, que quando come um, comem todos. Dirijo-me a uma estação de serviço, ponho exactamente os mesmo litros de gasóleo que havia posto em Portugal e vejo que gasto menos 10 euros...

Sigo viagem pela auto-estrada que me há-de levar a Madrid onde chego passado pouco tempo. Entro na capital ibérica...perdão...espanhola, mais fácilmente do que entraria em Lisboa. Deve haver um feriado qualquer aqui, porque sendo Madrid uma cidade com o quintuplo dos habitantes, deveria pelas contas de qualquer um, ter 5 vezes mais carros..mas não. De certeza absoluta que os espanhóis não devem andar de carro que os mesmos devem ser muito caros...Por falar nisso...vejo ali um stand da Citroen...ora, deixa-me lá ver quanto é que custa aqui o mesmo carro que acabei de comprar uma semana antes no meu querido país...O quê? eur 4000 a menos?? Não pode ser...este stand deve com toda a certeza estar a fazer "dumping"...

Estaciono o carro vendo desde logo que não se pode fazê-lo em cima dos passeios, como se faz lá na minha terra, mas parece que os passeios aqui são só para os peões. Se o Asterix estivesse aqui diria algo como "estes espanhóis são loucos", com toda a certeza. Dou uma volta pelo centro da cidade e constato que há um nível de vida, como direi...diferente, do que vejo em Portugal...as pessoas parecem-me mais felizes...começa a ser hora de sair do trabalho e vejo quase toda a gente a ir para os cafés comer umas tapas...há algo aqui que não bate certo...já vi pela minha viagem até agora que os espanhóis,ou melhor, o Estado Espanhol, não sabe ganhar dinheiro...não há portagens, gasóleo mais barato, turismo mais barato, carros mais baratos...quase de certeza porque deve o povo espanhol auferir menos do que os nossos...e mesmo assim, gastam dinheiro numas tapas...

Bom, há que sair da cosmopolita Madrid. Rumo a Saragoça, próxima paragem a 300 kms. Mais uma vez, não há portagens na auto-estrada. Burros estes governantes castelhanos...3 horas depois chego ao meu próximo destino intermédio, ie, Saragoça, onde pernoito. Para uma cidade que deve ser para aí a 5ª ou 6ª no ranking populacional das cidades espanholas, parece-me estar muito bem apetrechada de tudo. Desde hotéis a restaurantes, sem falar claro está de um centro histórico de fazer inveja a qualquer património mundial em Portugal. E veja-se bem...Saragoça a organizar a Expo 2008...qualquer coisa como se a Amadora ou a Maia, à nossa escala, organizassem a mesma no nosso território.

Passeio pela cidade e vou jantar com a famelga num restaurante a uma hora onde em Portugal já só se lavariam os pratos. São 22.15 quando me sento no mesmo. Finda a refeição, após ser muito bem servido (com extrema simpatia e delicadeza por parte dos empregados), há que dormir para prosseguir a viagem no dia seguinte.

Manhã seguinte - Toca a rumar a Andorra, onde acabo por chegar cerca de 4 horas depois. Quando chego ao hotel onde acabei por pagar por um pacote turístico (5 noites, regime de meia pensão, forfaits incluídos, livre acesso ao spa do hotel) provávelmente muito menos do que pagaria em Portugal num hotel semelhante, apresento-me como sendo de Portugal, e o empregado, português (!), dá-me a boa vinda na denominada língua de Camões, e diz-me, a meio da conversa, que em Andorra a primeira comunidade é a portuguesa. Seguida pela espanhola, e só a seguir a própria andorrenha.

Ou seja, meu caro José, cheguei às seguintes conclusões:

1) Eu que gosto muito da chamada sabedoria popular, constato que há algo de errado naquele ditado que diz "De Espanha nem bom vento nem bom casamento". Sugiro pois que a tua filha possa pensar em casar com um castelhano nem que o mesmo seja trazido por um (bom) vento. E, claro, que vá viver para Espanha;

2) O Estado espanhol não deve mesmo saber ganhar dinheiro (ou por outras palavras, não sabe chular o povo como o nosso faz). Mas sabe fazer uma coisa - sabe de facto como e onde gastá-lo;

3) Para quem (ainda) pensa que Portugal se transformou num país de imigração sugiro que vão a Madrid, onde a comunidade imigrante é em si maior do que a que se pode encontrar em todo o Portugal, e que de seguida vá a Andorra constatar que grande parte da população - portuguesa - veio para este principado para auferir de condições materiais (sim, que eu não acredito que os portugueses sejam muito afoitos às condições climáticas de Andorra) que não conseguem em Portugal.

4) Se houvesse um campeonato "Qual o melhor país para se viver" entre Espanha e Portugal, e onde estivessem em disputa 300 critérios, levávamos uma cabazada de 296 a 4. Os nossos 4 "golos" seriam (sem qualquer tipo de ordem) - a gastronomia, nomeadamente o pastel de nata, a não dobragem dos filmes estrangeiros, o vinho do Porto, e a Soraya Chaves (menos por ser boa actriz do que boa atrás)...tudo o resto é paisagem.

JLM

 

 

publicado por GERAL às 17:25
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De GERAL a 1 de Março de 2007 às 14:43
Interessaante, como as experiências podem ser vivdas de forma diferente, em lugares idênticos.

Já tenho estado de férias em Espanha algumas vezes, a última das quais foi no Verão passado. É verdade que existem muitos pontos positivos na nossa vizinha Espanha: as Taxas de IVA, a não existência de portagens (quer dizer, já existem algumas, mas as que não são pagas são tão boas como as outras - Sim há algumas portagens em Madrid), os combustíveis mais baratos, e os carros....

Mas, de resto não achei assim tão mais barato. Lojas, perdição do consumo, não achei a maioria dos produtos mais baratos (ao contrário do que esperava), jogos para consolas, livros, CD's, etc, tudo ao mesmo preço ou mesmo mais caro, como foi o caso dos perfumes.

A comida, apesar de merdosa, não posso dizer q os restaurantes sejam baratos (60 € por refeição para 3 pessoas em média), apesar do IVA. Café, bem aqui acho 1 roubo, chegaram a pedir-me 2,5€ por 1 café.

Enfim, não sou fã de Espanha, há de tudo, desde o barato ao caro. A simpatia é horrível, fui bastante mal atendido, para não dizer mesmo péssimamente, e não achei as pessoas "felizes" ou "contentes". Bem pelo contrário.

Acho sim, que o Governo Espanhol é 1000 vezes melhor que o nosso e sabe realmente gerir minimamente e condignamente o país. Nem que seja pelos salários su+periores aos nossos.

Agora, quanto ao desemprego, não invejo nada a vizinha Espanha. Vi muita pobreza, muitos "maus aspectos", muitos mendigos e muitos "agarrados" na rua.

Mas enfim, experiências diferentes, em tempos diferentes, no mesmo lugar.

RdS
De Anónimo a 2 de Março de 2007 às 10:45
Meu caro RDS,

Só alguns comentários em relação aos que fizeste...

Não é a primeira vez que vou a Espanha, ou que passo férias nesse país. Esta ultima viagem não serviu de experiência de deslumbramento, mas tão só de constatar, e confirmar que estamos a falar de outro campeonato. Nós, portugueses, estamos nas distritais. Espanha está na premier league.

Espanha É de facto um destino barato. Barato se considerarmos que se encontram alternativas a vários níveis, desde restaurantes, a vestuário, a calçado, ao comércio em geral que podem ser tão baratas como aquelas que se podem encontrar em Portugal. O café? Sim, é mais caro, mas o tabaco (para os viciados) é claramente mais barato que em Portugal, pelo que vício por vício, as coisas acabam por estar compensadas.

Depois há o estereótipo de os espanhóis serem mal educados, arrogantes (aqui se calhar têm razões para o serem), antipáticos, etc. Dogmas que, por experiência própria (e da experiência de muitos outros que conheço) acabam por estar completamente errados. Os espanhóis TRATAM BEM as pessoas, e no meu caso, inclusivamente, posso dizer-te que conheci uns que em 5 minutos após encetar uma converseta estavam a pagar-me copos. Meu caro, há de tudo em todo o lado, mas não entremos em estereótipos que SÃO errados.

O desemprego por outro lado é um problema que tem vindo a ser minimizado de dia para dia. Aznar criou 5 milhões (!!) de empregos enquanto esteve a governar. A taxa de desemprego em Espanha em 1998 era de 18,8%. Em 2003 (ultimos dados oficias que tenho) era de 10,7 e asseguro que tem vindo a baixar, ao contrário de Portugal. Prova disso é que há cada vez mais emigrantes em Espanha, muitos dos quais portugueses!!

Os espanhóis são de facto orgulhosos. TÊM motivos para o ser, percebes? 2º maior destino MUNDIAL de turismo com 58 milhões de visitantes anualmente. País com maior número de locais considerados património mundial. País líder mundial em alguns sectorres de actividade económica.

Por outro lado, eles têm, a título de exemplo, o Almodovar enquanto nós temos o Manoel de Oliveria. A Penélope Cruz enquanto nós a Luciana Abreu. A Letízia enquanto nós a Lili Caneças. O Picasso ou o Dali e nós...já nem sei. Eles ganham no ténis, no golfe, no basquetebol, no andebol, na vela ou no futebol (que é ainda aquilo em que nós fazemos uma festa com um 4º luigar no mundial) onde têm só uma das ligas mais competitivas do mundo. Amealham medalhas de ouro consecutivamente nos Jogos Olímpicos e até os organizam.

Meu caro, eu com isto tudo não quero dizer que não gosto de Portugal. Gosto, sem dúvida. Mas não posso ter o mesmo orgulho no meu país quando não tenho as multiplas razões que os espanhóis têm em relação ao seu.

JLM

De GERAL a 2 de Março de 2007 às 15:50
Lindo!

Mas merece resposta.

1) Não me revejo na moda "Espanhomania" e do "tudo o que existe em Espanha é bom". Não sou de modas e muito menos de estereótipos.

2) Quanto a Espanha ser barato, como disse no que escrevi, eu sou daqueles que compro cá e no estrangeiro o mesmo tipo de produtos - ou seja o que realmente consumo - e, para mim, nesses produtos que conheço, estou habituado, consumo, etc, sei que os preços ou são iguais ou são mais caros. Não me interessa se eles ganham mais ou menos que eu, mas sim o que posso comprar. Tirando, como disse no meu comentário, as auto-estradas e combustíveis (realmente esqueci-me do tabaco, mas como tenho muita dificuldade de encontrar a marca q fumo em Espanha, não ando a comprar outras só por comprar ou por serem mais baratas. Além disso, tb não tenho tido a sorte de apanhar aquelas de contrabando como sei q existem e q realmente são mesmo muito mais baratas), o resto não tenho achado nunhuma maravilha de preços. (Nota: Experiência pp e não de outros).

3) Atendimento BOM? irra, o Português contenta-se com qualquer coisa! De facto não nos matam logo quando chegamos, mas daí a dizer que somos bem servidos.....

4) Quanto aos indigenas locais (faço esta separação porque existe uma enorme diferença entre empregados q nos servem ou que nos atendem e a população em geral), não tenho razão de queixa, antes pelo contrário. São muito simpáticos e "porreiros", mas isso tb nós somos, e os Italianos, e os Ingleses, e os Holandeses, e os Turcos, e os Romenos, e os Brasileiros, etc, por esse mundo fora. Sinceramente, nas minhas viagens, tirando o pessoal de atendimento ao publico (aí apanha-se de tudo), a maioria da população é muito simpática, gosta de ajudar, etc. Nada fora do comum. É verdade, até em Portugal.

5) Agora é indesmentível uma coisa, que Espanha ESTÁ muito melhor governada do que nós, isso está. Que tem uma boam visão do que é serviço público, nisso estão muito à frente de nós. Que não roubam tanto, isso tb é verdade.

6) Quanto a Espanha ser um destino barato, é sim senhor. E comparando com o resto da Europa, nem se fala. Comparando conosco, da minha experiência, acho que anda ela por ela, temos de tudo assim como eles têm de tudo. Há coisas caras e há as baratas. É como cá. Mas isso é como tudo na vida, depende da experiência de cada um. Eu já arranjei hoteis muito baratos em Portugal e em Espanha, mas tb já arranjei caros.

8) Eles são orgulhosos daquilo que têm e nós, sistemáticamente, denegrimos o que temos. Somos mais exigentes conosco do que os outros? Talvez. Cada sabe do país onde vive, do país dos outros....Temos apenas uma ideia, pois não vivemos lá.

9) Quanto a figuras publicas, enfim, nós nem sabemos dar valor aos nossos, mas sabemos e invejamos qualquer um que seja estrageiro. Mais uma vez tem a ver com a nossa forma de estar perante nós próprios.

10) Não dogo q Portugal seja a 1ª maravilha mundail, mas não fico deslumbrado com os outros países.

11) Quanto a ordenados, sinceramente prefiria ter o poder de compra dos Italianoa, Alemães, Americanos, Suecos, Noruegueses, ou Ingleses, ao dos Espanhois. Exemplo por exemplo, os outros agradam-me mais.

Eh lá! Estiquei-me. Um abraço,

RdS
De Anónimo a 2 de Março de 2007 às 16:35
Meu caro,

Denegrir o que nós temos é o que fazemos constantemente neste blog. E com razão.

Sou da opinião que devemos, sem dúvida respeitando as coisas boas que temos (e que ainda não estragamos), seguir as pisadas daqueles que devem ser vistos como exemplo. E Espanha DEVE ser um exemplo para nós que andamos sempre tristes, cabisbaixos, a dizer mal do governo ou a passar férias nos parques de campismo da Caparica.

Espanha em 30 anos, e depois de uma ditadura semelhante (melhor porque pior seria difícil) desenvolveu-se Digo bem - desenvolveu-se. Não cresceu sómente. E desenvolveu-se rápida, sustentada e CABALMENTE. De modo a ter atingido o estatuto e reconhecimento, nas variadissimas (e outras mais que nem falei) vertentes que apontei. E Portugal? Onde é que está o reconhecimento? Onde é que está o estatuto?

Porque é que:

- Quando nós somos noticiados lá fora é porque ruiu uma ponte em Entre-os-rios, ou porque o Figo se transferiu, ou porque Portugal é o pior aluno da Europa, ou por outras coisas tantas, mas nunca muito apologistas da nossa "pretensa qualidade"?

- Porque é que, assiduamente, quando se fala de Portugal lá fora, muitas vezes a primeira pergunta é se é uma província de Espanha?

- Porque é que os BONS produtos que efectivamente temos são constantemente ultrapassados pelos dos outros (exº vinho, exº mármore, exº mosaicos, exº Têxteis) porque os outros SABEM e QUEREM fazer as coisas de forma se calhar apenas mais profissional?

- Porque é que tendo recebido PROPORCIONALMENTE tamto ou mais dinheiro dos fundos comunitários estamos nós onde estamos a ver os nossos vizinhos a voarem livremente?

Orgulho? Sim, todos nós devemos tê-lo. Quando o merecemos., como os espanhóis o merecem justamente. Isto não é só querer meu caro. E acredita...idas a Espanha da minha parte "é mato" como se costuma dizer. E nunca por nunca me queixei do atendimento, coisa que já não posso dizer em relação a outros países incluíndo o nosso (e nem preciso de ir a uma repartição pública). E mais uma vez acredita - se Portugal competir com Espanha num qualquer torneio, numa qualquer vertente, seja ela económica, cultural, desportiva, científica ou o que quer que seja, eu vou torcer por Portugal ou pelo português. Mesmo que saiba à partida que não devemos ter muita hipótese de ganhar. E isto não é pessimismo. É FADO. Nosso e exclusivo tal e qual o flamenco ...espanhol, claro.

Aquele abraço
JLM
De GERAL a 2 de Março de 2007 às 17:15
Espectáculo!

Demais, sempre nos vamos divertindo com coisas sérias.Eheheheheh!

Realmente o Blog é para dizer mal, mesmo mal, por isso estou a atacar....a Espanha!

O que me dá muito prazer, pois nisso sou muito tuga, detesto-os! Eheheheheh!

Voltando ao assunto, não acho e dificilmente virei a achar que a Espanha é um sucesso tão grande como anda tanta gente por aí a apregoar (tipo castanhas). Ainda por cima, julgo que aquilo deve estar a dar o "estoiro". Ainda vamos ver que afinal o tal milagre Espanhol era mais uma "miragem".

Espanha teve 1 ditadura muito pior´que a nossa, basta ver que morreram milhares de Espanhois, a nossa, para variar, foi de "brandos costumes" a comparar com a deles. Assim como o nosso 25 do 4.

Quanto ao grande desenvolvimento....vamos ver se de facto é sustendado ou se é subsidiado. talvez só daqui 10 ou 15 anos é que vamos saber.

Quanto a reconhecimento, é engraçado, mas lá fora reconhece-se mais Portugal do que pensamos (muito mais mesmo) e quanto a sermos uma província Espanhola, enfim a cultura é o que é e de facto há de tudo. Há os que conhecem e há os que não conhecem nada.

A língua Espanhola é de facto mais conhecida, mas não devido a Espanha e sim à América Central e Latina (estão + perto dos EUA e tem emigrado em grande número para lá). E como os americanos só sabem do seu continente, lá perceberam que havia uns indigenas q falavam outra língua que se chamava Espanhol. Muito importante para eles tb (aqueles que se deram ao trabalho de tentarem perceber as suas origens), foi o facto de ter sido Espanha a descobrir a América. Olha! mais uma razão para a conhecerem.

É engraçado como a memória é curta, durante muitos anos fomos considerados o melhor aluno da Europa, de repente, quando o cinto aperta, por razões obscuras, já somos os piores. Só gostava de saber quando é que vamos ter acesso a informação fidedigna dos outros países. É que se calhar nós somos dos poucos que fornecem informação minimamente real e que realmente aplica as regras da comunidade. Estamos a pagar pela estupidez de termos sido o "bom aluno" no passado.

Quanto aos nossos produtos serem sistemáticamente ultrapassados é e não é verdade. Temos muitos produtos e empresas com projecção internacional (não dimensão), muito reconhecidos lá fora, mas é pouco veiculado cá dentro. A nossa industria sempre vendeu e produziu + para fora (texteis) e pelos vistos continua, pois a exportações aumentaram, nem sei bem como.

Não temos marcas próprias (ou temos poucas), esse é o nosso grande, em grande parte fruto do nosso passado e das suas políticas coloniais.

Quanto a profissionalismo, essa é uma coisa que me custa a engolir. Os Espanhois são tudo menos profissionais, quem já recorreu à assistência técnica made in spain sentiu na pele o que estou a refiri. A sério que não consigo perceber o sucesso deles, pois há pouca coisa que realmente seja bem feita por eles.

Se formos aos produtos, então é de bradar aos ceús, onde está a qualidade? rirando raras excepções, a maioria dos extraordinários produtos espanhois são...merda.

Mas têm tido sucesso, é verdade. São como os produtos chineses e indianos, a mioria é merda, mas vendem que se fartam. Curioso não é? Mas como estamos a voiver em plena época de mediocridade, o que é mau é o que tem sucesso, eles estão realmente adequados e com ... sucesso.

Existe uma frase engraçada e que se adequa: " A Pobreza também tem Charme", adequando: "A mediocridade também tem sucesso".

São os dias que vivemos! Por isso não sou "Hispanocofanático".

RdS
De Anónimo a 2 de Março de 2007 às 17:44
Meu caro,

Eu não sou um Hispanicofanatico. Limito-me a constatar coisas simples e à vista de todos. Coisas do tipo "verdade a La Palice". Falei de Espanha porque foi o país que atravessei. Porque se falasse de Inglaterra, França, Alemanha, Holanda, Suécia, Suiça, Bélgica, o minúsculo Luxemburgo, Grécia, e ficando-me por países da velha Europa, então eu, que gosto de escrever como sabes, fizaria com calos na ponta dos dedos de tanto ter que escrever.

Atenção à questão dos produtos de merda vindos de Espanha. Sabias que neste momento, os vinhos espanhóis (isto dito, escrito, e frisado por um conhecido enólogo PORTUGUÊS) são neste momento os melhores do mundo ultrapassando os franceses? Sabias que o azeite espanhol, qualitativamente ultrapassou os famosos azeites italianos? Ou que a agricultura espanhola é das maiores e melhores do mundo, com produtos referenciados no estrangeiro como é o caso simples mas paradigmático das laranjas? E só estou aqui a falar de questões relacionadas com o estomago. Portugal entra aqui, como entra em Espanha, através de produtos como os da Renova, marca de facto conhecida em Espanha. Por outras palavras, nas questões do tubo digestivo somos conhecidos por limpar a peida aos espanhóis.

Portugal tem produtos de qualidade? TEM. Onde é que está o trabalho a juzante? Nowhere. Dizer que há coisas que são reconhecidas lá fora é dizer que há produtos do Burkina Faso que também o são. Ou seja, que los hay hay utilizando o dialecto que tanto pareces desprezar. Mas há muitos que não acreditam, como S,Tomé não diria melhor.

Meu caro, eu já vi as coisas aqui neste nosso burgo melhior. Hoje não vejo. Vejo de facto o vizinho aqui do lado a escapar-se e não sou assim tão pessimista, nem tenho que o ser, em relação ao futuro de "nuestros hermanos". Mas o mais importante não é eu ser pessimista ou não. O mais importante é que eles não o são. Achas que é preciso eles provarem mais do que têm provado ao longo dos ultimos anos? Eu penso que não. E teria muito orgulho em dizer ou constatar algo que NÒS tivessemos provado...só que ainda não sei o quê...Alguém é capaz de me dizer?

Isto não é só dizer mal, repito. Agora da mesma maneira que não entro no que tu designaste como "hispanicofanático" não tenho uma unica razão para ser detractor de uma nação que descolou de nós. E não tenho motivos para pensar que o distanciamento ficará menor no futuro. Deus (ou Diós) o dirá.

Aquele abraço
JLM
De GERAL a 2 de Março de 2007 às 18:09
Touche! ou antes, Olé!

Viva Espanha!

Portanto Espanha é um sucesso! Bom Marketing, lá isso é verdade. Até conseguem fazer com que os produtos de merda deles sejam reconhecidos mundialmente.

Laranjas que sabem a batata, pêssegos com gosto a banana e banana com sabor a espargos. Vinhos que azedam no estomago, mas bons claro. É a máxima da globalização no seu melhor: A Marca vale tudo!

E os consumidores papam tudo, mesmo que seja horrível ou péssimo, mas é de Marca, neste caso, é de Espanha, logo é BOM.

Pois, eles estão realmente melhor que nós, é verdade. Teno pena que não aibamos fazer mais e melhor. Mas estou convencido que esta situação vai mudar. Vamos voltar a ser uma glorioza nação, muito melhor que a Espanhola.

Quanto aos Espanhois acharem que estão viver muito bem, tenho algumas dúvidas, não os vejo tão satisfeitos como isso. Mas isto sou eu a ser á língua.

Quanto a péssimismo ou realismo, o futuro o dirá. Ehehehehe!

RdS
De MS a 2 de Março de 2007 às 17:37
Bemmmm....
Está muito séria a discussão.... e como tal vou avacalhar.
Um portugues e um espanhol estavam à caça, mesmo junto à fronteira. disparam ao mesmo tempo e um pato cai na linha de fronteira.
Depois de longa discussão acerca da propriedade da vitima, decidem que um vai ao cu do outro. O primeiro que gritar fica sem o pato. Tiram à sorte e o portugues enraba primeiro o espanhol.
Depois do tuga estraçalhar as hemorróidas ao espanhol, deixando-lhe a peida em sangue e com lágrimas nos olhos diz o espanhol...
- Ahora soy yo!
e diz o tuga
- Ouve lá ó espanhol, quem te disse que gosto de pato?

Serve esta pequena alegoria para dizer que os espanhóis, como povo, são um erro da natureza. Tenho pena que os rios não andem ao contrário para poder cagar na fronteira e poder ver a bosta seguir rio a cima... mas infelizmente que eles vivem melhor que nós é verdade.

Já lá vai o tempo em que o tuga ía comprar caramilhos a nuestros hermanos mas agora... da-se, nem para merda temos dinheiro.

Podem dizer o que quiserem mas há uma verdade incontornável: Eles (espanhóis) são uma merda, mas vivem melhor que nós!

MS


De Anónimo a 13 de Fevereiro de 2008 às 10:38
rsrsrsrsrs...
Encontrei este blog por acaso e... Adorei. Sobretudo esta última intervenção "Os espanhóis são uma merda mas vivem melhor que nós"
Eu estive emigrado em Andorra durante 13 anos. Lá vivem (nesta ordem de maior a menor numero) espanhóis, andorranos, portugueses (6 mil), árabes, filipinos, franceses, indianos, ingleses, e outros em minoria... Por isso, a cultura em Andorra é uma mistura, mas em geral, é bastante catalana.
Assim, eu não vivi em Espanha. Espanha é muito grande e tem culturas muito diferentes. Em Galiza são parolos, mentirosos e pouco cultos (faz lembrar Portugal), em Andaluzia são alegres, brincalhões mas malandros. Em Madrid são cultos e muito sérios. No país catalá são muito cultos (60 % da população tem licenciatura!!!), muito respeituosos, de muita confiança, mas muito agarrados ao dinheiro (isto é popular mas que tem a sua razão de ser). Os Vascos são de boa comida, muito amigos, mas de ideias muito fixas, e são muito industrializados. Os asturianos são fechados (fazem-me lembrar o povo das montanhas), mas de confiança. Estes são os que eu conheço. Pessoas que trabalharam comigo, e coisas que se vão ouvindo.
Agora, quanto aos produtos serem bons ou serem maus, bem, há de tudo. Mas eu acho que os automóveis espanhóis comparados com os automóveis portugueses... Enfim. E os aviões que lá fabricam na empresa CASA (que pertence ao grupo AIRBUS) se os compararmos aos fabricados pelos portugueses... ;-)
Ninguém tem dúvidas quanto à superioridade de Espanha. O problema aqui é que não se devia comparar Portugal com Espanha mas sim com uma região de Espanha. Percebem?
Assim, em termos de cultura, religiosidade, industrialização, alimentação, aldrabices, e outros, Portugal é muito parecido a Galiza. Mas está muito, muito, muito abaixo dos Vascos ou dos Catalães.
Para terminar, o pior que os espanhóis (em geral) têm, e eles reconhecem isso, é que pensam que são o centro do mundo, e por isso só os produtos espanhóis é que são bons. Em todas áreas, eles acham que são sempre os melhores. Eu acho que, curiosamente, eles até têm certa razão.
O melhor dos espanhóis, o sistema de fiscalização que têm. Em Espanha, os corruptos vão parar à cadeia num 50% dos casos. Em Portugal não vai nenhum. O sistema dos Tribunais está muito bem feito e é independente do Governo. Por isso é que, de vez em quando lá vai mais um político prá cadeia. E não pensem que é porque são mais corruptos que os portugueses, não. O que acontece é que a máquina judicial funciona muito melhor, porque é independente do Governo.
Enfim, gosto de ser português, mas não sei bem porquê. Eu gostaria que ficássemos sem governo, sem polícias (ou guardas), sem ministério de educação e de saúde e sem tribunais. E depois, os espanhóis viessem colocar tudo isso, mas com pessoal de Espanha. A partir desse momento, deixaríamos de ver os carros estacionados nos passeios, os corruptos enchiam as prisões (tinham que ser construídas mais, claro), seríamos atendidos nos hospitais a tempo (antes de morrer) e teríamos uma educação à altura do primeiro mundo... As universidades de educação (que formam professores) transforar-se-iam em universidades de medicina e tecnologias.
E por aí fora...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

.Contador

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds