Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Viagem a Andorra - carta ao meu amigo José

Caro José,

Como sabes, tirei uma semana de férias para vir a Andorra e tentar a minha sorte na prática do ski. Em Portugal estou sempre limitado, uma vez que a nossa única pseudo-estância de ski - a Serra da Estrela - não teve neve este ano, e parece que os canhões de neve não funcionaram muito bem. Faz-me lembrar aquela canção dos "Salada de Frutas" dos meus já longínquos tempos de pré-adolescente que dizia "Se cá nevasse fazia-se cá ski". Mas adiante, resolvi escrever-te para te dar conta de coisas estranhas que se passaram nesta minha viagem, agora que acabei de chegar ao meu destino de férias.

A viagem correu bem. Foram 1250 kms sempre a esgalhar no meu carro comprado há uma semana (que é o mesmo que dizer que desde há uma semana que estou com a corda ao pescoço)

Saí de Lisboa cedo, de modo a rentabilizar o meu tempo. Auto-estrada por aí fora a caminho de Badajoz. Claro está que antes de entrar em Espanha tive que pagar a portagem - cerca de 14 Euros para fazer 180 kms. E antes mesmo de empreender a viagem, tive, claro está, que encher o depósito do meu carro de gasóleo, o que me ficou em cerca de 60 Euros.

Entrado em Espanha, começo a constatar coisas não muito normais...ando na auto-estrada há uns bons quilómetros e não vejo portagens. Estranho..Entrei na auto-estrada sem levantar nenhum ticket, já saí e re-entrei duas vezes e não encontrei nenhuma cabina onde tivesse que dispender uns euritos por estar a utilizar uma via em tudo parecida com aquela que utilizei ao fazer a travessia de Portugal...se calhar enganei-me nas saídas e nas entradas...

Saio uma terceira vez da auto-estrada para descansar mais um pouco e para comer qualquer coisa, que isto de fazer viagens longas necessita de um estomago reconfortado. Como tal, saio numa terreola chamada "Trujillo". Engraçada a terreola...Quase que não vem no mapa e está cheia de monumentos...e tem uma daquelas coisas designadas de "Parador" que é como quem diz uma espécie de Pousada lá do sítio. Em tom de curiosidade olho para os preços para uma eventual estada...ora bem Eur 115/noite para um quarto com cama de casal e cama suplementar para a minha filha de 5 anos...engraçado...quase que juro que o preço para passar uma noite numa pousada em Portugal é algo mais caro...para aí uns 150 euros...e que coisa mais estranha...o IVA é de 7% ??!?? Será por a qualidade do estabelecimento ser pior? À primeira vista não me parece...isto até fica num castelo medieval e tudo...

Trujillo fica algures na Extremadura espanhola, aparentemente a região mais pobre de Espanha...mas não consigo encontrar pobreza nesta terra. E, curioso, vejo montes de jovens espanhóis a deambularem pela rua, pelos cafés, pelos restaurantes...não devem saber o quanto é bom irem para as cidades do litoral como os nossos jovens portugueses fazem..sim, porque quando eu vou a uma aldeola no interior da tugolândia as pessoas mais jovens que vejo davam para ser meus tetravôs...

Bem...vamos comer para regressarmos à estrada, que se está a fazer tarde. Ora bem...restaurante simpático, deixa-me ver os preços...média de eur 12/refeição..bah...não me parece demasiadamente caro...mais ou menos o que pagaria em Portugal ...e não se pode dizer que este restaurante seja uma espelunca. Comeu-se de facto bem, e ala que há que voltar à estrada. Bem...assim como me abasteci, tenho que abastecer o meu carro também, que quando come um, comem todos. Dirijo-me a uma estação de serviço, ponho exactamente os mesmo litros de gasóleo que havia posto em Portugal e vejo que gasto menos 10 euros...

Sigo viagem pela auto-estrada que me há-de levar a Madrid onde chego passado pouco tempo. Entro na capital ibérica...perdão...espanhola, mais fácilmente do que entraria em Lisboa. Deve haver um feriado qualquer aqui, porque sendo Madrid uma cidade com o quintuplo dos habitantes, deveria pelas contas de qualquer um, ter 5 vezes mais carros..mas não. De certeza absoluta que os espanhóis não devem andar de carro que os mesmos devem ser muito caros...Por falar nisso...vejo ali um stand da Citroen...ora, deixa-me lá ver quanto é que custa aqui o mesmo carro que acabei de comprar uma semana antes no meu querido país...O quê? eur 4000 a menos?? Não pode ser...este stand deve com toda a certeza estar a fazer "dumping"...

Estaciono o carro vendo desde logo que não se pode fazê-lo em cima dos passeios, como se faz lá na minha terra, mas parece que os passeios aqui são só para os peões. Se o Asterix estivesse aqui diria algo como "estes espanhóis são loucos", com toda a certeza. Dou uma volta pelo centro da cidade e constato que há um nível de vida, como direi...diferente, do que vejo em Portugal...as pessoas parecem-me mais felizes...começa a ser hora de sair do trabalho e vejo quase toda a gente a ir para os cafés comer umas tapas...há algo aqui que não bate certo...já vi pela minha viagem até agora que os espanhóis,ou melhor, o Estado Espanhol, não sabe ganhar dinheiro...não há portagens, gasóleo mais barato, turismo mais barato, carros mais baratos...quase de certeza porque deve o povo espanhol auferir menos do que os nossos...e mesmo assim, gastam dinheiro numas tapas...

Bom, há que sair da cosmopolita Madrid. Rumo a Saragoça, próxima paragem a 300 kms. Mais uma vez, não há portagens na auto-estrada. Burros estes governantes castelhanos...3 horas depois chego ao meu próximo destino intermédio, ie, Saragoça, onde pernoito. Para uma cidade que deve ser para aí a 5ª ou 6ª no ranking populacional das cidades espanholas, parece-me estar muito bem apetrechada de tudo. Desde hotéis a restaurantes, sem falar claro está de um centro histórico de fazer inveja a qualquer património mundial em Portugal. E veja-se bem...Saragoça a organizar a Expo 2008...qualquer coisa como se a Amadora ou a Maia, à nossa escala, organizassem a mesma no nosso território.

Passeio pela cidade e vou jantar com a famelga num restaurante a uma hora onde em Portugal já só se lavariam os pratos. São 22.15 quando me sento no mesmo. Finda a refeição, após ser muito bem servido (com extrema simpatia e delicadeza por parte dos empregados), há que dormir para prosseguir a viagem no dia seguinte.

Manhã seguinte - Toca a rumar a Andorra, onde acabo por chegar cerca de 4 horas depois. Quando chego ao hotel onde acabei por pagar por um pacote turístico (5 noites, regime de meia pensão, forfaits incluídos, livre acesso ao spa do hotel) provávelmente muito menos do que pagaria em Portugal num hotel semelhante, apresento-me como sendo de Portugal, e o empregado, português (!), dá-me a boa vinda na denominada língua de Camões, e diz-me, a meio da conversa, que em Andorra a primeira comunidade é a portuguesa. Seguida pela espanhola, e só a seguir a própria andorrenha.

Ou seja, meu caro José, cheguei às seguintes conclusões:

1) Eu que gosto muito da chamada sabedoria popular, constato que há algo de errado naquele ditado que diz "De Espanha nem bom vento nem bom casamento". Sugiro pois que a tua filha possa pensar em casar com um castelhano nem que o mesmo seja trazido por um (bom) vento. E, claro, que vá viver para Espanha;

2) O Estado espanhol não deve mesmo saber ganhar dinheiro (ou por outras palavras, não sabe chular o povo como o nosso faz). Mas sabe fazer uma coisa - sabe de facto como e onde gastá-lo;

3) Para quem (ainda) pensa que Portugal se transformou num país de imigração sugiro que vão a Madrid, onde a comunidade imigrante é em si maior do que a que se pode encontrar em todo o Portugal, e que de seguida vá a Andorra constatar que grande parte da população - portuguesa - veio para este principado para auferir de condições materiais (sim, que eu não acredito que os portugueses sejam muito afoitos às condições climáticas de Andorra) que não conseguem em Portugal.

4) Se houvesse um campeonato "Qual o melhor país para se viver" entre Espanha e Portugal, e onde estivessem em disputa 300 critérios, levávamos uma cabazada de 296 a 4. Os nossos 4 "golos" seriam (sem qualquer tipo de ordem) - a gastronomia, nomeadamente o pastel de nata, a não dobragem dos filmes estrangeiros, o vinho do Porto, e a Soraya Chaves (menos por ser boa actriz do que boa atrás)...tudo o resto é paisagem.

JLM

 

 

publicado por GERAL às 17:25
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds