Segunda-feira, 15 de Maio de 2006

Chocolari

Boas tardes,

Hoje venho aqui falar do assunto mais popular de todos os assuntos que a nação tuga aborda. Não, não é a crise nacional, não é o problema das deslocalizações, nem tão pouco o facto de termos ou não que construir uma central nuclear, um aeroporto na OTA ou um TGV a ligar o Porto a Lisboa. Vou falar do futebolzinho, ou melhor, da selecção de todos nós (não, não se trata do nosso governo).

Já aqui disse, num artigo anterior chamado de "embaixadorzinhos" que a nossa popularidade a nível mundial está muito dependente do pontapé na bola. No fundo, no fundo, à falta de termos artistas / museus / gastronomias / governantes ou outros desportistas que não futebolistas de renome mundial, temos que nos cingir de facto àquilo que nos faz algo famosos. E é aí que entra o nosso bem amado futebolzinho.

Apesar de pensar que há coisas na vida muito mais importantes que o futebol (ao invés de muitos tugas), confesso que adoro o jogo, e apesar de ser um benfiquista confesso, não sofro própriamente de clubite, ou seja, se o Luisão der uma cacetada em plena grande área ao Sá Pinto (apesar de pensar que este ultimo deveria levar cacetadas em todos os jogos) eu digo que é penalti, e também não me coíbo de dizer que, caso aconteça, o Benfica jogou uma merda em determinado jogo e mereceu perder.

O Benfica é assim para mim, uma espécie de paixoneta que mais vezes me dá tristezas do que alegrias, já que não tive oportunidade (por ainda nem sequer andar nos testículios do meu progenitor) de ver ao vivo o glorioso nas décadas de 60. Mas a este respeito, também não vivi no século XV e XVI onde Portugal dava cartas no mundo.

Há no entanto um "clube" que para mim está acima do Benfica, e que é a selecção nacional. Vibro com as vitórias desta e sofro com as derrotas ou com jogos mal jogados, passe o pleonasmo.

Portugal apurou-se há já algum tempo, para o mundial de 2006 a ocorrer na Alemanha este ano, facto que toda a gente sabe, mais do que saber quem foi o nosso primeiro Rei. Hoje, são conhecidos os seleccionados para essa grande epopeia, e quem efectuará essa escolha é um senhor brasileiro chamado Luis Felipe Scolari.

O Sr Luis Felipe Scolari tem, ou teve, um grande "mérito". Pôs, na altura do Euro 2004 (o tal que "obrigou" a construção de mais estádios do que seriam de todo necessários) Portugal a embandeirar em arco no sentido restrito da palavra, ou seja, bandeiras era coisa que não faltava nas janelas ou nos vidros de trás dos carros (que se fodesse a boa ou má visibilidade do vidro traseiro). Penso que nem no nosso 25 de Abril de 1974 houve tanta bandeira a esvoaçar pelo país (embora bandeiras só vermelhas nessa altura era coisa que não faltava). Foi pois necessário que um imbecil de um brasileiro dissesse para empolarmos o nosso patriotismo para que toda a nação tuga sofresse de taquicardia cada vez que a nossa selecção jogasse.

Esse foi pois o grande mérito do Sr Scolari, porque, vendo bem as coisas, o que é que essa besta conseguiu para Portugal? Conseguiu o 2º lugar, que é como quem diz, conseguiu o primeiro dos ultimos lugares, obtido contra esse verdadeiro portentado do futebol mundial chamado Grécia. É que nós nem nos vimos gregos para os vencer. Vimo-nos pura e simplesmente impotentes, com disfunção eréctil prolongada, para em 2 jogos aquando do Europeu, não termos logrado vencê-los. Estavam criadas todas as condições para que Portugal vencesse o Europeu. Tinhamos jogadores, atmosfera, um campeão europeu de clubes. Só não tinhamos treinador. O jogo da final do Euro 2004 foi consfrangedor e julgo ter sido o pior jogo que já vi Portugal fazer.

Depois, lá nos apurámos, conforme dito para o mundial deste ano. Com um grupo daqueles, até o Vilafranquense teria hipóteses de ir ao Mundial, mas enfim, o que é certo é que lá estamos. E dizem os entendidos que com hipóteses de chegar ao título (onde é que eu já ouvi esta história).

Serve tudo o acima, para dizer que, com grande pena minha (e tenho a certeza da maioria das pessoas que vê e gosta de futebol) o jogador Ricardo Quaresma não foi convocado para o mundial. Eu já o referi antes, sou manifestamente benfiquista, mas acima de tudo, tento ser justo. E justo é dizer que o Ricardo Quaresma é, de longe, o melhor jogador português a actuar no nosso campeonato. É um verdadeiro génio que se calhar, tem toda a sua inteligência nos pés, mas é para isso que lhe pagam.

O Sr Scolari gosta de proteger quem o protege. Gosta do Figo porque este faz anúncios publicitários com ele. Gosta do Costinha convocando-o apesar de este não jogar há mais de um ror de tempo. Gosta do Quim, que nem sequer é titular na equipa. Gosta do Boa Morte porque este disse a dada altura num pasquim desportivo (que é o que mais temos) que o Sr Scolari é um grande treinador.

Os critérios do Sr Scolari são, no mínimo, discutíveis e controversos, se é que de facto existem critérios. O Sr Scolari, apesar dos 30.000 contos que aufere mensalmente, não se dá ao trabalho de ir ver jogos de futebol. Basta ter o Sr Scolari um núcleo duro de jogadores (normalmente aqueles que falam bem dele) para formar uma equipa. O que interessa que sejam suplentes, estejam em péssima forma, ou pura e simplesmente não joguem? Não interessa nada.

Assim sendo, os extremos que Portugal vai levar ao mundial são o Cristiano Ronaldo (nada a apontar), o Figo (que já não se aguenta nas canetas), o Simão Sabrosa (que nunca joga na selecção aquilo que faz no Benfica) e o Luis Boa Morete (que há-de ser a boa morte de Portugal se jogar). O Quaresma, pelo critério do Sr Scolari, não merece a chamada, apesar de comummente ser qualificado dos melhores extremos mundiais.

Considero a não convocação do Ricardo Quaresma um crime de lesa-pátria. Numa altura em que o futebolzinho é de facto o assunto que mais tempo leva os portugueses a filosofar, tenho pois que, infelizmente, considerar este tema tão importante como o défice, o desemprego, a produtividade, ou o envelhecimento da população.

Como tal, resta-me apenas dizer que o Sr Luis Felipe Scolari é um teimoso, um cego, um egoista, um casmurro, um péssimo profissional. No fundo, uma verdadeira besta. Talvez aquilo que merecemos.

JLM
publicado por GERAL às 17:20
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nas voltas e reviravoltas...

. A Austeridade...

. Portugal e a Crise

. Jogo FMI

. FMI e afins

. O outro lado da exuberânc...

. Os Sufrágios!

. As idio(ti)ssincracias da...

. O país de betão

. O salário minimo e Portug...

.arquivos

. Outubro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds